Melancholia


Por vezes perdida,
Vagando na escuridão
Sentindo-me só
Mesmo ao seu lado
Por que meus defeitos?
Por que não elogios?
Talvez carinhos
Ou, quem sabe, sorrisos
Olho para o espelho
Odeio o que vejo
Sinto-me horrível
Um ser inconcebível
Por que sou assim?
Deveras grossa
Muitas vezes soberba
E, até mesmo, ruim
Não olhe para mim
Não toque em mim
Afaste-se de mim
Zombe de mim
Como todos os dias
Prendendo-me
Como um animal para o abate
Sem expectativas

Sem liberdade.

Comentários